Cachorro e gato se coçando | Como se manifestam as alergias em cães e gatos?

Como se manifestam as alergias em cães e gatos?

Observar é a principal dica para descobrir possíveis problemas na saúde de seu pet. Ficar atento à rotina do animal, como ele está se alimentando, se tem dormido bem e, principalmente, seu comportamento, são ações importantes no dia a dia.

O estresse, por exemplo, pode ser descoberto através do exercício da observação, ao perceber que o cão se irrita facilmente. Doenças como alergia também dão sinais que os donos podem perceber facilmente. A coceira excessiva, incômoda ao animal, é um exemplo.

Outro sintoma muito comum à alergia é a queda de pelo em determinados locais, geralmente onde o cão ou o gato coça muito. Assim como em humanos, determinados alimentos podem causar alergias em cães e gatos. Problemas respiratórios e de pele também estão entre as causas.

Desenvolver algum tipo de reação à alimentação é raro no universo pet, mas pode acontecer. É uma reação autoimune, do próprio organismo do animal, que reage a ingredientes presentes em alimentos próprios para cães ou gatos. Na maioria dos casos, a alergia ao alimento resulta em irritações na pele ou problemas gastrointestinais.

Geralmente, esse tipo de alergia surge depois de meses ou até anos de consumo de determinado alimento. É o longo período de exposição à determinada substância que provoca a reação na pele.

Antes de promover qualquer alteração na dieta do bicho, procure um veterinário que poderá auxiliar em um diagnóstico mais preciso. Vale lembrar que utilizar outro tipo de produto na alimentação, a não ser os feitos para eles, é extremamente prejudicial à saúde dos pets.

Sensibilidade de cães e gatos

Cães e gatos são sensíveis a várias substâncias. Animais que costumam deitar na cama de seus donos, por exemplo, podem desenvolver reação alérgica aos produtos usados para lavar a roupa de cama, como o amaciante, por exemplo.

Nesses casos, a alergia pode ser provocada pela inalação de uma substância nociva. Ao identificar o problema, a orientação é eliminar o material do ambiente frequentado pelo cão ou pelo gato. Depois, procure um hospital veterinário para fazer uma série de exames e encontrar o melhor tratamento, a fim de amenizar os sintomas.

A maioria dos casos de alergia em cães e gatos é provocada por parasitas, como pulgas e carrapatos. O contato com a saliva da pulga, por exemplo, é capaz de provocar uma reação na pele do animal, que causa coceira e irritação.

O mesmo tipo de reação pode ser provocado pelo carrapato. Uma forma de evitar esse tipo de problema é manter os locais utilizados pelos animais limpos. Em caso de infestação, por exemplo, contrate um profissional especializado em controle de parasitas e higienize o animal.

Atenção na hora de tratar alergias em cães e gatos

Hoje, o mercado conta com produtos de fácil utilização e disponibiliza remédios para evitar pulgas e carrapatos. Shampoos, sprays e coleiras antipulgas são alguns exemplos do que usar. É importante sempre seguir as orientações contidas nos frascos para não expor a saúde do animal de estimação a qualquer risco. Adotar essas práticas não exclui a necessidade de consultar um veterinário para que seja feito o tratamento correto.

Alguns casos de alergia podem provocar danos à saúde dos animais. Além disso, o gato ou cachorro pode sofrer com falhas no pelo.

É normal que aconteça a queda excessiva de pelos no local onde o animal coça. Muitas vezes, a falha não desaparece imediatamente. O organismo leva um determinado tempo para se recuperar.

Porém, caso a alergia demore muito tempo para ser tratada da forma correta, a falha pode se tornar irreversível. Por isso, fique sempre de olho em seu pet. Ao sinal de qualquer comportamento estranho, procure um hospital veterinário e consulte um profissional. O Hospital Veterinário Chipi Care é referência em medicina veterinária na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Filhote de cachorro se coçando | Como eliminar pulgas e carrapatos em filhotes?

Como eliminar pulgas e carrapatos em filhotes?

Os filhotes rapidamente se tornam membros de uma família. Eles ganharam espaço não só dentro das casas dos brasileiros, mas também no mercado de consumo e saúde animal. Com isso, surgiram a demanda e as soluções de como eliminar pulgas e carrapatos.

O Mundo Pet movimenta milhões de reais todos os anos e conta com uma vasta variedade de serviços e produtos. O fato é que muita gente gosta e tem um cão de estimação e, independentemente do tamanho ou da raça do bichinho, os cuidados são os mesmos e vão além das consultas e exames no hospital veterinário.

Cuidar da alimentação, levar para passear, manter a caderneta de vacinação em dia e, principalmente, garantir a higiene do companheiro são ações fundamentais.

O hábito é essencial, não só para manter o bem-estar do animal e evitar odores ruins, mas também por uma questão de saúde, já que a falta de cuidados com a higiene pode favorecer o aparecimento de pulgas e carrapatos em filhotes.

Como os filhotes pegam pulgas e carrapatos?

O carrapato e a pulga estão no ambiente, nos locais que o animal frequenta – internos ou externos. O cachorro não é o responsável pelo surgimento dos parasitas, mas pode auxiliar na transmissão. Sendo assim, um cão que frequenta uma área com grama alta, por exemplo, pode pegar carrapato, que pode procriar e se espalhar.

Estes bichinhos “pulam” de cão em cão, literalmente. Conseguem se propagar com facilidade e infestar muitos animais se não houver um controle. Por isso a importância de cuidar da higiene. Mas atenção: se o seu cãozinho for um filhote, só o leve para o petshop depois de aplicar todas as vacinas recomendadas.

Como eliminar pulgas e carrapatos dos filhotes

Uma única pulga é capaz de colocar 300 ovos por dia e adora os animais de estimação. Ela prefere ter contato com corpos que tenham entre 38,3 e 39,2 graus de temperatura. Geralmente, a nossa temperatura corporal oscila entre 35,5 e 36,6 graus, o que faz dos humanos a “última opção como hospedeiro” de pulgas.

Ao observar que o seu cãozinho está se coçando muito, examine o pelo dele de perto e observe. A melhor forma de evitar a pulga é com o uso de algum medicamento, que deve ser indicado por um médico veterinário. Também é comum o uso de coleiras antipulgas e até mesmo pipetas que são aplicadas na região do pescoço do animal.

Buscar um profissional responsável é uma dica importante para garantir a eficácia do tratamento. O Hospital Veterinário Chipi Care é um dos mais completos e modernos do segmento. Sediado no Rio de Janeiro, oferece vários serviços para animais domésticos e até silvestres.

O pesadelo dos carrapatos

Outro incômodo ao qual os filhotes estão sujeitos é o carrapato. A praga é mais fácil de ser vista entre os pelos do cão em comparação com a pulga. O parasita ataca em qualquer época do ano, mas é durante o verão que ele se reproduz em maior número.

Vale lembrar que nem todas as espécies de carrapatos transmitem doenças, e é comum que, além do filhote, os carrapatos também ataquem os humanos. Nos cães, além de provocar a irritação no local em que está alojado, ele pode provocar paralisia e anemia.

A melhor forma de combater o carrapato é manter limpos os locais que seu cão frequenta em casa. Se sair para o ambiente externo com o pet, evite regiões com mato e sempre avalie os pelos do animal de perto.

O médico veterinário é um grande aliado para a saúde do animal. Realizar consultas periódicas também é importante para evitar possíveis complicações, que podem colocar em risco a vida do seu novo companheiro. Por isso, procure por locais especializados e que ofereçam um serviço de qualidade. No Rio de Janeiro, o Hospital Veterinário Chipi Care é referência.